Quais são os papéis e as responsabilidades do franqueador?

9 minutos para ler

O franqueador é, acima de tudo, um empreendedor que encontrou um modelo sólido para atuar e viu a possibilidade de replicá-lo para outras pessoas. Ser um empresário desse tipo também contribui para que terceiros aproveitem a estrutura da empresa para abrir o seu próprio negócio de forma mais segura e com maiores expectativas de sucesso.

Contudo, para chegar a esse modelo sólido, o franqueador precisa ser bem-sucedido nas etapas anteriores, que são definir e desenvolver o conceito do negócio, testá-lo na prática e estabelecer normas, processos, políticas e padrões a serem observados pelos franqueados.

Para mostrar um pouco mais do papel desse empresário e das vantagens em investir no sistema de franquias, criamos uma lista bem detalhada, na qual você encontrará tudo o que precisa saber sobre as responsabilidades do franqueador. Confira!

Vantagens de ser um franqueador

Ser um franqueador é vantajoso em diversos aspectos, já que chegar a esse ponto significa ter passado com êxito pela fase de estruturar a empresa para que ela ampliasse a sua linha de atuação. Confira as principais vantagens!

Expansão mais rápida

A primeira grande vantagem de franquear o seu negócio é que isso possibilita alcançar uma expansão mais rápida. E quando falamos nisso, não estamos falando em um processo feito de qualquer jeito; pelo contrário, a criação de unidades da rede precede um estudo detalhado para analisar a viabilidade dessa ampliação.

Esse é também o ponto que exige mais cuidado, sendo recomendado contar com ajuda especializada para conseguir cumprir essa missão de forma satisfatória, já que será ela que guiará os resultados posteriores e garantirá ou não o sucesso da estratégia.

Ampliação do poder de negociação

Quando se tem uma rede maior, o poder de negociação é ampliado, especialmente com os fornecedores da matéria-prima (produtos ou serviços) que regem o funcionamento do seu negócio.

Comprar em maior quantidade gera um preço menor, esse é um movimento natural de mercado, mas que nem todas as empresas conseguem aproveitar principalmente pela capacidade de compra que têm. Fazer parte desse rol ajuda a obter custos menores e, assim, oferecer preços mais competitivos aos clientes.

Fortalecimento da marca

O fortalecimento da marca é outra característica de uma franquia bem-sucedida, afinal, a expansão faz com que outros clientes conheçam a empresa e, com isso, ela conquistará cada vez mais espaço no mercado.

Um estudo de franqueamento bem-feito também garante as ações corretas para que esse fortalecimento se perpetue, certificando a tão desejada segurança para os franqueados investirem no seu negócio.

Longevidade do negócio

Com a citada estruturação bem-sucedida e o fortalecimento da marca, a longevidade do negócio é um efeito natural disso. Quando há padrões bem estabelecidos e franqueados aptos a seguirem o que foi disposto, a atuação passa a ser qualificada em todos os cenários, o que será reconhecido pelo público e permitirá à marca seguir se destacando no mercado por muito tempo.

Desvantagens de ser um franqueador

Assim como existem vantagens, há certas desvantagens de ser um franqueador. É importante frisar que essas desvantagens não são empecilhos, pois com o planejamento correto é possível minimizá-las. Porém, é nosso papel apresentá-las, já que elas fazem parte do desafio cotidiano de um empreendedor desse segmento. Confira quais são elas.

Exposição da estratégia a terceiros

Você entregaria a receita do seu sucesso para terceiros? Essa é uma pergunta que a maioria responderia não, mas no caso das franquias isso é necessário por ser o que vai garantir a expansão do negócio.

Porém, mesmo que isso pareça uma grande desvantagem, a realidade se mostra diferente, porque mesmo que expor a sua estratégia seja um risco, os ganhos são muitos maiores, visto que será esse compartilhamento de informações que fará você ampliar a sua rede e garantir que as novas unidades sejam bem gerenciadas.

Risco de seleção inadequada

A seleção inadequada é mais um risco do que uma desvantagem de fato. Risco porque errar faz parte do processo e até mesmo os grandes franqueadores já erraram na seleção de um franqueado.

É importante minimizar as possibilidades de esses erros acontecerem buscando conhecimento e aplicando as melhores práticas de seleção de franqueados, as quais devem seguir critérios preestabelecidos conforme os objetivos do seu negócio.

Gerenciamento complexo

A complexidade que gerenciar diversas unidades apresenta é uma realidade que todo franqueador deve estar ciente. Esse monitoramento constante é exaustivo e não pode ser negligenciado por ser um dos elementos mais importantes para que uma franquia seja bem-sucedida.

Portanto, é preciso otimizar o processo de gerenciamento e investir seu tempo para tornar esse controle cada vez mais fácil e, ao mesmo tempo, mais completo de ser feito.

Pré-requisitos para ser um franqueador

Agora que você já sabe das vantagens e desvantagens de ser um franqueador, que tal conhecer os pré-requisitos para se tornar um? É o que você vai descobrir logo abaixo.

Marca registrada

Todos os empreendedores sabem da importância de ter uma marca registrada. Porém, muitos não fazem isso e acabam tendo que correr atrás quando decidem franquear.

Para quem não ter que passar por isso, é importante fazer esse registro da marca de início, até mesmo para garantir maior segurança jurídica antes mesmo de começar o projeto de franqueamento.

Sucessão de bons resultados

A sucessão de bons resultados é o que vai ditar a possibilidade de replicar os negócios. Afinal, a criação de um modelo testado e aprovado é característica básica de uma franquia.

E quanto tempo caracteriza essa sucessão? O ideal é ter entre 2 e 3 anos de resultados positivos e crescentes. Afinal, esse crescimento mostra que o negócio é escalável e que há mais do mercado que pode ser explorado.

Análise de viabilidade de expansão

análise de viabilidade de expansão é o que vai dizer se o negócio pode ser franqueado ou não e, em caso positivo, de que forma esse franqueamento vai ocorrer.

Para se tornar um franqueador não basta apenas querer. É preciso ter elementos técnicos que mostram que isso é possível. A análise de viabilidade dará isso para você.

Inteligência estratégica

inteligência estratégica é que vai permitir uma gestão qualificada, principalmente no que diz respeito a escolha dos locais certos para abrir as novas unidades e adaptação à realidade de cada mercado.

Por mais que haja padrões gerais, cada unidade precisa de uma estratégia específica. Assim o franqueador deve apoiar o franqueado para colocá-la em prática.

Responsabilidades do franqueador

Toda os processos, padrões e automatizações criados pelo franqueador só funcionam se forem executados do modo como foram planejados. Dessa forma, é preciso que ele tenha atenção às responsabilidades que isso acarreta. Veja quais são elas nos tópicos a seguir.

Oferecer treinamento e capacitação aos franqueados

Transmitir os processos e padrões que permeiam o funcionamento de uma franquia é uma das principais responsabilidades do franqueador. Já que, se elas não forem passadas aos franqueados e suas equipes do modo correto, toda a operação da franquia poderá ser prejudicada.

Para que o franqueador tenha a certeza de que o franqueado agirá de acordo com o modelo de negócio criado por ele, é preciso que ele realize treinamentos que transmitam isso de modo claro e preciso.

Dar todo o suporte operacional necessário

Não basta ensinar ao franqueado o que fazer, é preciso que ele receba todo o suporte necessário para que o seu estabelecimento funcione dentro do modelo proposto. E isso inclui o relacionamento com os fornecedores, colaboradores ― até mesmo no que diz respeito às questões trabalhistas ― e, até mesmo, no atendimento às necessidades do cliente.

Se a marca da franquia promete ao consumidor alguma coisa, é preciso que o franqueador dê ao franqueado toda a estrutura necessária para que essa promessa seja cumprida.

Criar as ações de marketing

As ações de marketing de uma franquia precisam estar alinhadas em todas as unidades. Pois, apesar de terem proprietários diferentes, perante o público, se trata da mesma marca. Por isso, não faz sentido algum que uma unidade ofereça uma promoção ou produto que não existe em outros estabelecimentos da rede.

Desse modo, todas as ações de marketing devem ser criadas pelo franqueador e ter a adesão de todas as unidades da rede, o que não significa que as sugestões dos franqueados não sejam bem-vindas, principalmente porque, na hora da venda, eles têm um contato mais direto com o público e suas necessidades.

Aprovar o ponto comercial e acompanhar a operação da unidade

A seleção do ponto comercial é outra responsabilidade do franqueado que deve ser observada. Certamente, é um detalhe que faz com que a unidade saia do padrão da franquia. Por isso, antes do franqueado fechar negócio com o ponto, é preciso que o franqueador o aprove.

Além disso, ele também precisa acompanhar de perto toda a operação de cada uma das unidades. Assim, é possível garantir que tudo esteja sendo feito de acordo com o que foi estabelecido no modelo de negócio.

Agora você já conhece os papéis e responsabilidades do franqueador! Aprofunde o seu conhecimento acerca desse tema. Afinal, ele precisa ser bem estudado antes de você investir em um sistema de franquias.

Conhecendo bem as responsabilidades do franqueador já se torna possível pensar em um plano de expansão.  Então, leia este post o e descubra se é melhor fazer sozinho ou contratar uma empresa para elaborá-lo!

newsletter da goakiraPowered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário