O que é franchising? Saiba como funcionam as redes de franquias

12 minutos para ler

O termo ‘franchising’ desperta bastante curiosidade em muitas pessoas, tanto naquelas que já empreendem e querem crescer os negócios criando uma rede de franquias, quanto nas que sonham em conquistar o próprio empreendimento comprando uma franquia. 

Explicando de forma direta e resumida, o termo franchising vem do inglês e poderia ser traduzido como ‘franqueando’, mas, na verdade, ele engloba tudo que envolve o universo das redes de franquias.

Neste post, você vai ver:

  • Como funciona o sistema de franchising?
  • É melhor expandir com franquias, filiais ou licenciamento?
  • Legislação do franchising no Brasil
  • Formatos e tipos de franquias
  • Em quais segmentos o franchising atua?
  • Como abrir uma franquia?
  • Como transformar minha empresa em franquia?
  • Conclusão

Como funciona o sistema de franchising?

Quando falamos em franchising, estamos falando de um modelo de negócio de sucesso replicável, ou seja, uma empresa que performa bem e deseja expandir com capital de terceiros, tornando a marca conhecida em outras cidades, estados e até países. 

Ao contrário do que muitos pensam, não são apenas grandes redes que podem entrar para o sistema de expansão com franchise. Atualmente, existem mais de 3 mil empresas operando nesse sistema, segundo dados da ABF (Associação Brasileira de Franchising). Destas, muitas se enquadram como micro franquias – que possuem investimento inicial de até 80 mil reais. Geralmente, elas contam com uma operação mais simplificada e são popularmente conhecidas como ‘franquias baratas’, mas isso não significa que não sejam lucrativas ou que não construam um nome forte no mercado.

Por outro lado, temos as gigantes amplamente conhecidas do franchising, como Carmen Steffens, Mc Donald ‘s, Burger King, Localiza, Havaianas, Subway, entre milhares de outras marcas que se tornaram franquias globais. 

É melhor expandir com franquias, filiais ou licenciamento?

Depende da decisão do empreendedor, afinal, existem muitas diferenças entre estas três possibilidades, embora todas sirvam para fazer a empresa crescer. 

No caso das filiais, é necessário desembolsar uma grande quantidade de dinheiro, além de se atentar a outros recursos, como novas contratações, realocações de funcionários atuais, questões tributárias, processos jurídicos etc. Existem marcas que optam pelas filiais e são bem sucedidas, mas é como explicamos no início: o investimento é muito alto e é totalmente feito por você.

Já o sistema de licenciamento consiste em uma licença de uso da imagem de uma marca. Podemos ver o licenciamento em diversos produtos, especialmente nos infantis, que colocam personagens de desenhos animados em cadernos, mochilas, roupas… Mas também é possível abrir uma loja licenciada, por exemplo. 

Aqui, é feito um contrato entre as partes, no qual o licenciado paga ao licenciador pelo direito de usar a imagem da sua marca. Contudo, não existem grandes proteções legais para as partes envolvidas e o nível de padronização costuma ser bem menor, porque não há um controle tão rigoroso sobre isso. Basicamente, o licenciado pode fazer quase tudo o que quiser usando o nome da marca licenciada, contanto que esteja no contrato.

No franchising é totalmente diferente, porque há um sistema de leis específico para cuidar de franquias no Brasil, que garante direitos e deveres bem estabelecidos para franqueadores e franqueados. 

Por isso, a expansão com franquias acaba sendo muito vantajosa, já que possibilita crescimento em escala com capital de terceiros (já que quem investe é o franqueado), alto nível de padronização, pagamento de royalties e taxas recorrentes, relação ganha-ganha entre as partes (quanto mais o franqueado ganha, mais a franquia ganha), possibilidade de descontos maiores com fornecedores (por causa da compra em maior quantidade), possibilidade de entrar em regimes tributários como o Simples Nacional, proteção legal etc.

Além disso, segundo a ABF, o setor de franquias faturou mais de R$ 53,9 bilhões no final de 2020, registrando um crescimento de 22,8% em relação ao trimestre anterior. Isso nos mostra que o franchising continua crescendo, inclusive em momentos de crise.

Legislação do franchising no Brasil

estátua da justiça

A lei N° 8.955 rege o sistema de franquias (Lei de franquia). Ela está em vigor no país desde 1994 e garante maior estabilidade e proteção para todos os envolvidos no negócio.

Esta lei aborda temas como COF (Circular de Oferta de Franquia), prazos para assinatura de contratos, multas por descumprimento de regras, treinamentos e suporte ao franqueado, consultoria de campo – quando o franqueador visita o franqueado para checar padrões de qualidade, entre outros aspectos.

Em linhas gerais, ela garante que o franqueador fornecerá o know-how necessário para que o franqueado possa tocar o negócio sem que seja possível um dos lados tirar vantagem do outro de forma indevida – caso o franqueado queira abandonar a franquia e montar um negócio próprio em seguida, com base em todo o conhecimento e expertise adquirido na franquia para se tornar um concorrente direto, por exemplo.

Formatos e tipos de franquias

A variedade de tipos de franquias é imensa e tem para todos os gostos e orçamentos. Aqui, vamos abordar os principais formatos em que o franchising opera e os diferentes papéis dos franqueados e franqueadores.

  • Nano Franquias e Microfranquias: são as famosas franquias baratas. A maior parte delas opera no formato home-based, em que é possível trabalhar de casa. 

Também é comum ver tipos em que o franqueado atua como vendedor (visitando e prospectando clientes em potencial para tentar fechar a venda) ou modelos em que o franqueado “coloca a mão na massa” e exerce a atividade central do negócio, como escolas em que o franqueado precisa dar aulas, por exemplo.

Como o investimento inicial para adquirir uma dessas franquias vai de aproximadamente 500 reais até R$80 mil, podemos afirmar que há uma grande variação entre elas e cada uma atende a um perfil específico de investidor e cliente final. 

  • Unidades móveis: muitas delas também se enquadram no padrão de microfranquias, por serem mais acessíveis – são os food trucks, bikes e carrinhos de lanche que operam no franchising. 

Elas costumam trabalhar no setor de alimentação e serviços rápidos, mas a grande vantagem é a possibilidade de estar cada dia em um lugar diferente, explorando novos públicos.

  • Quiosques e containers: costumam operar no formato take and go, mas há também as que disponibilizam espaço para consumo no local, embora sejam bem menores do que as lojas. 

Fazem sucesso por conseguirem se adaptar muito bem aos espaços e exigirem investimento inicial menor do que as lojas completas, apesar de comercializarem os mesmos produtos/serviços.

  • Lojas: podem ser de rua ou de shopping, assim como os quiosques e containers. Normalmente, são as que exigem investimento inicial mais elevado, mas também proporcionam um retorno financeiro maior.

As lojas são o primeiro formato que nos vem à cabeça quando pensamos em franquia, porque costumam chamar mais a atenção pelo tamanho e identidade visual forte. Porém, as modalidades menores estão ganhando cada vez mais espaço e conquistando seu público, que prefere consumir de comércios pequenos.

Dica Goakira: lembre-se que não existe milagre ou fórmula mágica para ganhar dinheiro. Se pensarmos de forma coerente, fica claro que o investimento e o faturamento precisam ser proporcionais. Portanto, desconfie quando alguém te oferecer um retorno altíssimo sobre um investimento baixo – é cilada!

Em quais segmentos o franchising atua?

Em todos! Sim, estamos respondendo sem exagero nenhum – todos! Você já foi a algum estabelecimento comercial e viu uma máquina de colocar moedas para pegar bolas de gude ou outros brinquedos? Saiba que muitas dessas máquinas são franquias! 

E aquele corretor de seguros, que te vendeu um seguro de vida, de saúde ou qualquer outro? Muitas corretoras de seguros trabalham com franchising e os corretores são seus franqueados.

Isso vale para escolas, supermercados, bares, boates, farmácias, restaurantes, lojas de roupas, sites, portais, agências de publicidade, academias, casas de repouso, sorveterias, esmalterias, salões de beleza, clínicas de estética, serviços como passar roupas, limpar ambientes, cuidar de carros, transportar veículos, fazer a logística de cargas, enfim, tudo!

Não importa em qual segmento você queira trabalhar ou já trabalhe atualmente, é sempre possível entrar para o franchising.

Como posso comprar uma franquia?

abrir franquias

Em primeiro lugar, é importante entender qual é o seu perfil de empreendedor. Se você for uma pessoa com um espírito empreendedor muito forte, que gosta muito de ter autonomia total e criar coisas novas o tempo todo, investir em franquia pode não ser uma boa opção no seu caso, pois é necessário seguir regras e padrões.

Apesar de parecer uma coisa ruim, na verdade, seguir estas regras é muito bom, já que elas foram pensadas justamente para aumentar a garantia de sucesso do empreendimento. Acredite: as regras não estão lá por acaso! O franqueador precisou fazer testes, cometer erros e acertos até entender o que, de fato, era bom para o negócio prosperar e ir bem nas vendas, comunicação e marketing, precificação, relacionamento com stakeholders etc.

As regras e padrões funcionam como um recurso de proteção no franchising, pois garantem que o franqueado terá a transferência de expertise e que o franqueador verá sua marca crescer de acordo com determinados padrões de identidade e qualidade que funcionam, mantendo a marca forte e consolidada.

Depois de entender se você tem ou não este perfil, é hora de escolher o segmento de atuação e, por fim, a franquia desejada. Esta escolha deve ser feita com base em uma série de fatores, como:

  • suas expectativas com relação ao negócio
  • seu capital disponível
  • sua disponibilidade de horas semanais para se dedicar à franquia
  • se há sócios ou não
  • tamanho da cidade/bairro em que a unidade ficará localizada 
  • motivos pelos quais você quer empreender ou já empreende
  • se você quer trabalhar sozinho ou com uma equipe de funcionários
  • se prefere trabalhar de dia ou de noite
  • se prefere trabalhar mais nos finais de semana ou durante a semana
  • disponibilidade de locomoção diária
  • nível de conhecimento sobre o segmento em que o negócio atua

Finalmente, após avaliar todos estes pontos, você pode se candidatar no processo seletivo da franqueadora. Em via de regra, a franqueadora analisa seu perfil e, caso esteja dentro do que eles procuram, disponibiliza a COF. 

Uma coisa importante para você ficar de olho: franquias boas escolhem muito bem seus franqueados. Afinal, se qualquer um pode entrar e se tornar franqueado, como será mantido o padrão e como será feito o controle de qualidade? 

Existem empresas franqueadoras que entregam a franquia nas mãos de qualquer pessoa interessada. Logo no primeiro encontro com o candidato, já disponibilizam a COF e pressionam para que a pessoa assine o contrato logo. 

Se você se deparar com uma marca que faz isso, saiba que não vale a pena investir nela! 

Bem, após encontrar uma franqueadora que combina com o seu perfil, é hora de ler e analisar o contrato com calma. Se todos estiverem de acordo, é só assinar e começar a estruturar a nova unidade.

Para conhecer algumas marcas em expansão no Grupo Goakira, clique aqui.

Como transformar minha empresa em franquia?

Se o seu interesse é transformar a sua empresa em uma franquia, ou seja, entrar para o mundo do franchising, o processo consiste em: formatação, expansão e controle da operação.

Na fase de formatação de franquias, uma empresa de consultoria empresarial especializada em franchising te ajuda a entender e padronizar seus processos de forma replicável, além de organizar e regulamentar tudo, partindo da situação atual para o próximo nível. 

A formatação é uma fase complexa, que demanda muita experiência e atenção para ser feita da melhor forma. Depois, é hora de ir para a expansão de franquias. Nesta fase, você terá que prospectar e vender suas unidades aos franqueados, sempre escolhendo aqueles que realmente tem o perfil ideal.

Conclusão

A decisão de entrar para o mundo do franchising, seja transformando sua empresa em franquia ou comprando uma unidade franqueada, é sempre um ponto de virada na vida dos empreendedores, pois este processo tem tudo a ver com a realização de sonhos, satisfação pessoal e crescimento profissional.

Por isso, conte com uma equipe de profissionais especializados no assunto, que vão te ajudar em todas as etapas dos processos envolvendo redes de franquias. 

Nós, da Goakira, temos orgulho de ser a única consultoria empresarial do Brasil com selo ISO 9001 de qualidade e uma das únicas que conquistou o certificado Great Place to Work.

Selo Great Place to Work e ISO 9001

Ao longo de mais de 10 anos de experiência no segmento de franquias, atendemos mais de 600 clientes e mais 750 projetos de franquias

Converse com um especialista e tire todas as suas dúvidas.

Para se aprofundar ainda mais no universo de expansão e gestão de negócios, baixe nossos e-books gratuitos:

Nos acompanhe também nas redes sociais para ter acesso a conteúdo de qualidade toda semana: 

Instagram  LinkedIn  Facebook

Posts relacionados

Deixe um comentário