Franquia Havaianas: entenda mais sobre sua história

6 minutos para ler

A franquia Havaianas é uma marca genuinamente brasileira que já estabeleceu sucesso no mundo inteiro. Afinal, poucas foram as marcas que conseguiram alcançar o mercado internacional e se consolidar com um produto que mantém sua essência por anos como faz a Havaianas.

Os modelos de sandálias foram criados em 1962 e, atualmente, há franquias da Havaianas em mais de 100 países. A empresa tem mais de 55 anos de tradição e, em 2018, a receita líquida foi de R$ 3,9 bilhões. Além disso, mesmo com algumas concorrentes, a empresa domina 80% do mercado de chinelos nacional.

Se você ficou interessado nessa história e quer entender melhor o sucesso dessa franquia, continue lendo este texto!

Como surgiu a marca Havaianas?

O modelo de sandálias Havaianas foi criado em 1962, inspirado na sandália japonesa Zori, que tinha tiras de tecido e sola de palha de arroz. Com o histórico brasileiro de extração de borracha, os gerentes da marca decidiram utilizar esse material como matéria-prima e tinham como objetivo criar um modelo que não deformasse, soltasse as tiras ou tivesse cheiro — como já dizia o velho slogan da Havaianas.

O nome foi inspiração do Havaí, lugar idealizado por muitos como o destino dos sonhos na década de 1960. Na época, a marca lançou um único modelo de sandália que tinha a sola branca com tiras e laterais azuis. Elas eram vendidas por um preço baixo e, por isso, a marca teve como principal consumidor pessoas de baixa renda.

Em 1966, a Alpargatas, empresa proprietária da marca Havaianas, registrou a patente do modelo, especificando o material e o formato que identificaria a Havaianas como as originais.

Com a expansão das vendas, surgiram no mercado muitas imitações que foram rebatidas com altos investimentos em publicidade reforçando o slogan de que as Havaianas eram as legítimas. Em 1969, por um erro nas máquinas, as sandálias começam a sair na cor verde e os compradores gostaram dessa variação, levando a marca a produzir novas cores.

Com o passar dos anos, os gestores perceberam a necessidade de investimento em novas cores, estampas e modelos e, hoje, há mais de 400 modelos do produto que são vendidos no mundo todo.

Como funciona a franquia Havaianas?

A marca Havaianas faz parte do conglomerado Alpargatas que também é responsável pelas marcas Dupé, Osklen, Mizuno e Topper. Os gestores revelam que a franquia Havaianas é uma das empresas mais lucrativas, correspondendo a 48% dos lucros do conglomerado.

O sistema de franquia foi criado para oferecer aos consumidores uma experiência completa e já conta com mais de 200 lojas por todo o Brasil. Atualmente, há três modelos de negócio:

  • o quiosque, com 12 m²;
  • as lojas de rua, em que são exigidos entre 60 e 80 m²;
  • as lojas de shopping, entre 40 e 60 m².

Para ser um franqueado, o investimento pode variar de R$ 300 mil a R$ 845 mil, dependendo do tamanho da loja. Esse valor inclui a taxa da franquia, a instalação e o estoque. Nessa franquia, não há cobrança de royalties e o franqueado destinará 2% do seu faturamento bruto para investimentos em marketing de divulgação. O faturamento mensal médio de uma franquia varia entre R$ 50 mil e R$ 80 mil, com rentabilidade média de 12%.

Depois de preencher os dados iniciais no site, o possível investidor deve participar de uma entrevista para que sejam verificados todos os requisitos, como experiência, capital e bagagem no comércio varejista.

Quais os diferenciais fizeram a franquia Havaianas expandir seus negócios mundialmente?

Além de ser sucesso no Brasil, a Havaianas é uma marca internacionalmente conhecida. Até os anos 2000, a marca era vendida apenas para países vizinhos como Bolívia e Paraguai, mas não tinha grandes projeções. Portanto, como não havia concorrência externa, a estratégia dos gestores foi ousada, pois eles esperaram a marca virar febre no mundo todo, para então começar a fase de exportação.

Antes de ter lojas em outros países, as Havaianas já eram exportadas por brasileiros como presentes para amigos e parentes que moravam no exterior. Os primeiros países a receberem a marca oficialmente foram Portugal, Austrália e Japão. Depois, elas chegaram a outros países da Europa e aos Estados Unidos.

Pesquisas de lembrança de marca mostram menção de 50% dos consumidores da Argentina, Angola, Austrália e Portugal quando o assunto é sandália ou flip flops, termo em inglês. A expectativa da marca é entrar em novos mercados como China, México e Índia.

Outro fator importante para o sucesso da marca foi a diversificação dos produtos, lançando toalhas, chaveiros, galochas, óculos e alpargatas. Essa foi uma grande aposta para consolidar o mercado em países frios que precisavam de uma “Havaianas de inverno” e a inovação foi um sucesso.

Ao longo dos anos, a Havaianas foi ampliando parcerias e criando modelos exclusivos e temáticos. Dessa forma, já houve modelos assinados por estilistas famosos, decorados com cristais Swarovski e com personagens da Disney e Star Wars.

Cenário brasileiro

No Brasil, a empresa não para de investir em suas fábricas. Em Campina Grande (PB), são produzidas 200 milhões de sandálias por ano, e a fábrica de Montes Claros (MG) tem a capacidade de 100 milhões de pares.

A empresa também inovou com sua primeira loja-conceito (flagship store), com 300 m², inaugurada na rua Oscar Freire, endereço luxuoso de São Paulo. O espaço Havaianas é decorado com mosaicos, paisagismo e claraboias para passar a impressão de que o lugar é uma praça. Nesse sentido, os produtos ficam expostos em contêineres e barracas de feira, reunindo todas as linhas de produto da marca com opção de espaço de customização com pins, tiras diferenciadas e mudança de solas.

Portanto, para quem tem um capital alto, investir na franquia da Havaianas pode ser uma opção confiável e com grandes chances de sucesso. Afinal, como a marca já tem um nome consolidado no mercado nacional e internacional, é mais fácil rentabilizar e melhorar as vendas.

Gostou do nosso texto e quer ficar por dentro das dicas e novidades do setor de franquias? Então siga nosso perfil no Facebook, no LinkedIn, no Instagram e no YouTube!

Posts relacionados

Deixe um comentário