O que são royalties de franquias e como defini-los?

6 minutos para ler

Ter conhecimento sobre royalties de franquias é fundamental para compreender o funcionamento desse mercado. Essa obrigatoriedade é tanto do franqueador quanto do franqueado.

Dessa forma, é possível garantir o funcionamento das operações e a viabilidade do sucesso nas novas unidades, favorecendo um processo de expansão tanto em qualidade quanto em quantidade.

Para detalhar mais o funcionamento dos royalties de franquias, criamos alguns tópicos que se aprofundam no tema. Acompanhe!

O que são royalties de franquias

Eles são uma espécie de remuneração paga pela concessão do direito de usar o nome da marca. Esse pagamento é feito de forma periódica, conforme contrato previamente acordado.

Segundo a Lei 8955/98, conhecida como Lei da Franquias, os royalties são pagos pelo uso da marca e pelos serviços prestados pelo franqueador ao franqueado, nos quais estão incluídos suporte, apoio técnico/operacional, entre outros elementos fundamentais para o bom andamento do negócio.

Importância do contrato

Continuando o debate sobre a Lei das Franquias, é preciso citar que não há obrigatoriedade da cobrança de royalties e nem disposição sobre como eles devem ser cobrados.

A única obrigatoriedade, nesse sentido, diz respeito à COF (Circular de Oferta de Franquia), na qual devem constar informações claras sobre valores e taxas periódicas a serem pagas pelo franqueado ao franqueador, incluindo a base do cálculo e a finalidade do pagamento.

O contrato de franquia dispõe sobre as obrigações do franqueado, especialmente quanto ao cumprimento dos padrões de qualidade e obrigações junto à rede, incluindo aqui os royalties de franquia. Dentro do contrato, existem as chamadas cláusulas pétreas, ou seja, aquelas que não podem ser modificadas e outras que podem ser alteradas com a inserção de um aditivo contratual.

Os royalties de franquia normalmente circulam nas cláusulas pétreas, até mesmo para não sofrerem modificações constantes. Dessa forma, fica mais fácil cumprir o que a lei dispõe. Entretanto, como há redes com mais de um modelo de franquia, a forma de cobrança dos royalties pode variar entre eles, tendo como base principalmente os custos operacionais que cada modelo acarreta para a franqueadora.

Maneiras de calcular royalties de franquias

Antes de falar sobre as várias formas de calcular e cobrar royalties de franquias, é importante mencionar que cabe ao interessado em ser um franqueado solicitar à franqueadora informações detalhadas sobre projeções de retorno, lucratividade e como adaptar o negócio à realidade local. Afinal, as variáveis regionais podem impactar na rentabilidade do negócio.

Contar com ajuda de uma consultoria especializada em franquias para analisar a viabilidade do investimento é sempre recomendado, pois a rentabilidade gerada será fundamental para garantir o pagamento dos royalties de forma a não pesar no orçamento da unidade.

Quando for identificado que os royalties estão de acordo com a rentabilidade gerada, fica mais perceptível o custo-benefício do investimento e que vale a pena realizá-lo para poder aproveitar os benefícios de utilizar uma marca já conhecida no mercado e ter todo o suporte do franqueador para isso.

Sobre as formas de calcular os royalties de franquias, existem algumas variações. Por isso, listamos as principais. Conheça quais são elas:

Valor Fixo

Como o nome deixa claro, o valor fixo é aquele que não muda, sendo igual em todos os meses, independentemente dos resultados obtidos pelo franqueado.

As vantagens desse modelo é obter uma despesa fixa, o que torna mais fácil a gestão de contas, especialmente quando houver expansão nos negócios, já que o valor pago continuará mesmo. Quando o faturamento estiver baixo, pode não ser tão vantajoso, pois a permanência do valor pode ter um impacto maior em períodos de poucas vendas.

Percentual sobre Faturamento

Nessa modalidade, a taxa é cobrada sobre o faturamento bruto da unidade. O que traz uma variação mensal, conforme o desempenho obtido pelo franqueado.

Caso a taxa acordada seja de 2,5%, em um faturamento bruto de 100 mil reais, o valor ficará em 2,5 mil reais. Se no mês seguinte cair para 80 mil reais, o valor ficará em 2 mil reais e assim por diante.

Logo, quanto menor for o faturamento, menos se paga de royalties e vice-versa. Nesse caso, não há um custo fixo como na modalidade anterior. Aqui, ressalta-se a importância do estudo de viabilidade financeira, porque uma análise bem-feita demonstra que, mesmo em meses em que o valor dos royalties a serem pagos é maior, a rentabilidade do negócio não será prejudicada.

Na relação entre franqueado e franqueador, esse é um modelo interessante. Principalmente porque permite um crescimento conjunto, de forma que o sucesso de um representa o sucesso do outro.

Cabe mencionar também que os royalties não fixos podem ser cobrados de outras formas que não sejam sobre o faturamento bruto como sobre compras feitas, vendas ou receita líquida.

Ausência de Royalties

Sim, existem franquias que não cobram royalties e se baseiam em outras formas de remuneração. Normalmente, essa remuneração está embutida em algum item essencial para o negócio. Dessa forma, a aquisição dele garante o lucro necessário para a franqueadora, e assim dispensa a cobrança dos “royalties tradicionais”.

A embalagem dos produtos é um bom exemplo disso. Nesse caso, a franqueadora pode atuar tanto como distribuidora quanto como fabricante desses insumos. É recomendado ter o mesmo cuidado que se tem com as cobranças de royalties citadas anteriormente. Por mais que esse modelo seja bastante atraente.

O estudo do modelo do negócio e da estruturação da franquia é essencial. Ainda mais nesse modelo no qual é necessário dispor mensalmente de um bom capital de giro para fazer a compra dos itens fundamentais para garantir as operações.

Quanto à franqueadora, mesmo que não haja cobrança de royalties, ela não deve eliminar o suporte ao franqueado. Pois, o suporte é fundamental para o sucesso da rede como um todo.

Sobra a taxa zero, algumas redes isentam o franqueado de cobrança de royalties no período inicial. Assim, ele pode se estabelecer e passar a fazer a cobrança após a estabilização do negócio.

Portanto, com esse guia, você tem todas as informações necessárias sobre royalties de franquias e as maneiras de defini-los. Agora, você pode utilizar este artigo como material de consulta sempre que necessário.

Que tal nos ajudar a levar essas informações para outras pessoas? É simples: basta compartilhar este post nas suas redes sociais!

Posts relacionados

Deixe um comentário