As franquias que devem estar em alta em 2014

3 minutos para ler

As franquias não param de crescer no Brasil. Segundo estudo da Associação Brasileira da Franchising (ABF), o setor faturou 115 bilhões de reais em 2013. Alta de 11,9% em relação ao ano anterior. Foi um grande passo para o setor, que cresceu cerca de cinco vezes mais que o PIB nacional. Não é à toa que o Brasil é o terceiro maior em número de marcas, segundo o World Franchise Council. O país tem 2.700 franquias com a ABF, sendo que 277 novas franquias surgiram em 2013.

ebook sobre formatação de franquias

Tudo indica que o ritmo forte das franquias no Brasil vai se manter em 2014. Mas é preciso ficar atento aos setores que parecem mais promissores em franchising. Empresas nos ramos de alimentação, hotelaria, locadoras de carros e serviços de nicho, como centros de treinamento e capacitação de profissionais, podem crescer bastante neste ano.

Setores na crista da onda

Entre os vários momentos para começar a investir, poucos momentos são tão propícios quanto 2014. Mas como senão bastasse a expectativa de crescimento econômico maior do que o registrado no ano passado, a passagem da Copa tem o potencial de alavancar os negócios de franquias.

Entre as opções, alimentação é uma aposta segura. Um setor que sempre cresce está com ainda mais possibilidades já que o aumento dos salários no Brasil incentivou as pessoas a saírem para comer fora. Além disso, vale lembrar que é um setor que pode ser explorado no Brasil inteiro.

Outros setores que podem avançar estão muito próximos dos grandes eventos como a Copa e as Olimpíadas. Vale ficar atento em hotelaria, responsável por acomodar tanto os turistas estrangeiros, como os próprios brasileiros vindos de outras regiões. Aluguel de carros e escolas de línguas também deverão crescer muito antes e durante os eventos.

Cuidados com a Copa

Os investidores devem tomar cuidados no momento de investir seu capital em algumas franquias. Mesmo que o ano seja considerado importantíssimo para o crescimento econômico do Brasil. Para empreendedores que pensam em investir em algo momentâneo durante a Copa do Mundo, com pensamento de grandes lucros apenas no mês do evento, a dica é que os cuidados com o investimento devem ser dobrados.

Investir com pressa, é óbvio, faz do risco de o negócio dar errado ser um pouco maior do que um projeto de longo prazo. Além disso, é preciso que o investidor tenha noção de que o evento é momentâneo e seu lucro, por este motivo, também estará de passagem.

José Carlos Fugice Jr é administrador de empresas especializado em franquias e varejo. Possui MBA em administração de empresas pelo CEAG FGV/SP, além de experiência em mais de 150 projetos de franquias. É sócio-fundador da GoAkira Consultoria Empresarial.

Posts relacionados

Deixe um comentário