O que você precisa saber sobre a economia no momento

4 minutos para ler

A crise provocada pelo novo coronavírus, também conhecido como Covid-19, certamente causou muitos impactos nos mais diversos sentidos, especialmente na economia.

Apenas no mundo dos negócios, buscando maneiras de reduzir a disseminação do vírus, inúmeras empresas, como as que prestam serviços de tratamento de efluentes tiveram que suspender suas atividades de maneira temporária, enquanto outras, para continuarem atuando no mercado, adotaram o modelo de home office, como é o caso da Slide Portas, que começou a vender via WhatsApp.

São diversas mudanças em combate ao vírus. No entanto, sabemos que o cenário não é dos melhores. Com a queda no faturamento das empresas e diminuição na mão-de-obra e na demanda de produtos, a economia também entra em colapso e decai gravemente.

Para se ter uma ideia, segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI) em abril deste ano, a pandemia do novo coronavírus, vai levar a economia mundial a registrar o pior desempenho desde a Grande Depressão de 1929.

Por essa razão, para sobreviver financeiramente à crise neste período, conhecer as tendências e os últimos registros econômicos é essencial, como aumento dos pedidos via delivery e a importância de se adequar a essa nova modalidade, por exemplo.

Pensando nisso, neste post nós iremos explicar sobre como está a economia nacional no momento. Continue acompanhando nosso post!

Encolhimento do PIB

Um dos maiores reflexos da crise do Covid-19 é o atual encolhimento do Produto Interno Bruto (PIB). Segundo o FMI, o PIB global deve recuar cerca de 3%. Já no caso do Brasil, o órgão prevê um encolhimento de 5,3% em razão da pandemia.

Além disso, muitas empresas especializadas em consultorias e também bancos já esperam a retração do PIB, o que não ocorre desde 2016. No entanto, a maior dúvida entre os negócios é qual será o tamanho total da queda.

Entre a queda geral do PIB, o segmento industrial foi o mais afetado, com um decréscimo registrado de 9,1% em março de 2020. Ou seja, empresas que produzem chapa de acrílico, por exemplo, sofreram ainda mais impacto do que outros segmentos no geral. As indústrias de roupas, por outro lado, puderam utilizar a força de trabalho para confeccionar outros itens, como máscaras e vestimentas para médicos, como é o caso da Baby Duck.

Aumento do desemprego

Ao mesmo tempo que o PIB encolhe, o desemprego alavanca no país. Uma pesquisa realizada pelo Bank of America mostrou uma elevação de cerca de 14% na taxa média de desemprego no Brasil, diante do impacto do coronavírus e do sistema de auto isolamento.

Até abril, foram 4.9 milhões de postos de trabalhos encerrados, sendo que, do total, 3,7 milhões eram de informais, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse é um recorte histórico de desemprego. Apesar de chocante e triste, essa taxa pode impulsionar o mercado de empreendedorismo, pois investir em franquias é uma alternativa mais segura para quem quer ter o próprio negócio.

A expectativa é de retomada da economia

Embora o quadro para a economia seja negativo nestes últimos meses de 2020, o FMI já projeta previsões para a retomada da economia. A expectativa é que, após a pandemia do novo coronavírus ter sido superada, o PIB global avance cerca de 5,8%.

Além disso, a previsão também é que as empresas, como as que produzem câmaras frias, dentre outros tipos de produtos, voltem a sua normalidade o mais rápido possível. Outros negócios podem até aproveitar o momento para integrar novos canais de venda aos antigos com o auxílio de softwares de gestão para continuar vendendo muito.

Agora que você já sabe sobre como está a economia nacional e mundial no momento. Acha que essas previsões estão certas? Conta pra gente! Nós queremos saber a sua opinião.

Posts relacionados

Deixe um comentário