Seis dicas para escolher a franquia ideal

5 minutos para ler

Cerca de 70% dos candidatos a franqueados nem ao menos sabe em que segmento se gostaria de investir. Quando o assunto é encontrar uma franquia ideal para investir, mas nem sempre as pesquisas pela internet são a melhor solução. E realmente a rede mundial de computadores tem um vasto conteúdo sobre franquias, mostrando as oportunidades do franchising nos mais diversos segmentos e nichos.

tudo sobre rede de franquias

As variedades de redes de franquias são enormes e na internet o investidor encontrará várias informações, mas todas muito preliminares.

Para fazer a escolha de fato, é importante ir muito além das pesquisas pelo computador. Desse modo, bater perna nas feiras e agendar reuniões com consultores especialistas na área são atividades fundamentais nessa fase. Mas, antes de mais nada, é preciso saber em que segmento se gostaria de investir. Noto pela minha experiência que cerca de 70% dos candidatos a franqueados nem ao menos sabe essa resposta. Então, ter afinidade com o negócio em que pretende atuar é tão importante quanto ter o aporte de capital.

Digo isso pois todos os franqueadores tentarão convencê-lo de que a rede que eles gerenciam é a melhor para realizar a compra. Contudo, se você não sabe exatamente o que quer, pode ser que caia em alguma armadilha.

Para ajudar nessa fase, listei seis dicas fundamentais para quem deseja entrar para o universo das franquias. Trata-se de um check-list básico, que nada mais é um questionário inicial para os potenciais franqueados.

Procure responder com sinceridade a cada uma das perguntas.

1. Por que estou buscando uma franquia?

A maioria das pessoas busca na franquia sua principal fonte de receita. Nesse caso, saber a expectativa de ganhos com a franquia é fundamental. Quando atingir a maturidade, o negócio que você vai entrar precisa propiciá-lo minimamente o seu patamar econômico atual. Outras pessoas querem comprar uma franquia como um investimento e não pretendem tocar o dia a dia do negócio. Nesse caso a atenção deve ser triplicada. É importante ter alguém de confiança para operar e checar se o franqueador permite essa configuração. A afinidade da pessoa que irá operar o negócio com a franquia é decisiva, independente de quem está aportando dinheiro e em qual proporção. Decidir a faculdade do filho, na maioria das vezes não funciona. E aqui, aplica-se a mesma regra: o perfil de quem vai operar o negócio deve ter sinergia com a atividade da franquia escolhida.

2. Quais são minhas habilidades e competências? Qual é meu perfil comportamental?

As perguntas relacionadas a comportamento e perfil são extremamente importantes e devem ser as primeiras a serem respondidas. Não pense que pelo fato de entrar num sistema de franquias que possui regras estabelecidas seu comportamento mudará da água para o vinho por conta dessas regras. Isso dificilmente irá acontecer.

3. Tenho disponibilidade para trabalhar aos sábados, domingos e feriados?

Se não tem disponibilidade, nem perca seu tempo com operações que trabalhem exclusivamente em shopping center. Operações de alimentação em geral, costumam exigir uma carga de trabalho mais elevada. Entretanto, nem tudo está perdido: existem franquias onde você tem a flexibilidade de trabalhar na sua própria casa. Vale a pena buscar a opção que mais se adequa ao seu perfil.

4. Quanto dinheiro tenho para investir?

Com a nova oferta de crédito, tenho observado pessoas que desejam abrir negócios que exigem investimentos razoavelmente altos (acima de trezentos mil reais) certos de que vão conseguir financiamento. Essa é uma má ideia. É possível que o empréstimo não saia e, mesmo se sair, será preciso pagar por ele e nenhum negócio do mundo fornece lucros polpudos desde o começo, suficientes para sustentá-lo e ainda pagar o banco ao mesmo tempo. Cuidado para não começar dando um passo maior que a perna.

6. Qual o melhor ponto comercial?

Todo investidor de franquia tem dúvida se abre loja de rua ou de shopping. Quando falamos de operações de shopping, fique atento aos valores de pontos comerciais. Muitos se iludem que gastarão menos com reforma em um espaço neste local. Isso nem sempre é verdade. De qualquer forma, saiba que os pontos comerciais tem valor elevado, e não tenha dúvidas de que quase sempre os custos para abrir uma loja no shopping são superiores se comparados a abrir uma loja na rua – o que nem sempre quer dizer que esta é a melhor opção. Tudo depende do perfil do negócio e do franqueado.

serviço de geomarketing

5. Espero pela marca desejada ou abro longe de casa?

Muitas marcas extremamente procuradas, não possuem territórios disponíveis perto da sua casa, ou aindanão possuem nenhum território na sua cidade. Nesses casos, ou você entra na fila e espera, ou parte para a outra. A opção de mudar de cidade para abrir a franquia deve ficar em terceiro plano. Em suma, a decisão de investir numa franquia deve ser muito bem pensada e planejada. Ao contrário do que muitos imaginam, comprar uma franquia não é garantia de sucesso. Obviamente, esse modelo de negócio tem mais chances de dar certo do que um que comece do zero porque conta com a experiência do franqueador, que já testou e aprovou o modelo. Mas, antes de bater o martelo é importante analisar uma série de fatores, em especial se aquela marca é mesmo a ideal para você. Não poupe tempo e nem meça esforços nessa busca.

Diego Simioni é administrador de empresas e sócio-fundador da GoAkira, consultoria empresarial especializada em franquias.

Fonte: Portal Metaanálise

Posts relacionados

Deixe um comentário