Escolha de franquia para investir exige pesquisa cuidadosa

6 minutos para ler

Pesquisa vai da afinidade com o segmento até a infraestrutura da marca para dar suporte às operações

No ano passado, o sistema de franchising brasileiro cresceu 11,9%, quase cinco vezes mais do que o PIB nacional, de 2,3%, segundo pesquisa. O faturamento do setor passou de R$ 115 bilhões, de acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF). Em um cenário tão favorável, natural que o modelo de negócio caia na preferência do empreendedor. Nos últimos dez anos, o número de franqueados quadruplicou. Hoje, a pesquisa aponta que são 114,4 mil unidades negociadas no país. Mas diante da quantidade da oferta – 2.703 redes franqueadoras – a cautela é a primeira condição para definir onde aplicar o investimento que vai consumir economias e , se tudo der certo, concretizar o sonho do negócio próprio e da independência financeira, diz pesquisa.

ebook sobre formatação de franquias

Apesar dos inúmeros cuidados, algumas vezes a frustração e o prejuízo são inevitáveis. O ex-franqueado Maurício Buerger, por exemplo, entrou na Justiça para reaver R$ 110 mil que aplicou na compra de uma unidade Vininha, especializada em mini sanduíches, em Araucária. O valor inclui também a taxa de marketing paga durante os oito meses de operação, há dois anos e meio. “A loja nunca pagou seus custos. Eu e meu sócio não fazíamos retiradas e não tínhamos suporte adequado da franqueadora. Então, tentamos devolver para a rede, mas acabamos fechando”, diz.

Pesquisa: Adequação

Dono da marca Vininha, Rodrigo Miranda reconhece que teve problemas no início da operação em rede, mesmo com a experiência com lojas próprias e os dez anos de negócio estabelecido quando partiu pra venda de franquias, em 2011. Então precisou recomprar metade das seis primeiras unidades negociadas. “Na época, nosso modelo estava sendo formatado e muitos processos, em fase de consolidação. Então faltava padronização da marca ”, diz.

Os ajustes foram feitos nos últimos dois anos. Miranda reviu desde os critérios para seleção de franqueados até a infraestrutura de suporte aos parceiros. “Antes, bastava ter dinheiro para a adesão. Mas hoje fazemos uma avaliação mais rigorosa do perfil do franqueado, que deve estar alinhado à proposta e ao ritmo do negócio. Também deixamos a planilha de rentabilidade e investimentos mais clara, detalhando todos os pormenores da operação”, explica.

O franqueado recebe treinamento na loja e na fábrica da Vininha. Mas as boas ideias dos parceiros também têm fórum certo de discussão. Por isso, criaram um conselho, formado por representantes de cada região, que tem mandato de 12 meses e se reúne a cada 90 dias para avaliar o desenvolvimento do negócio.

As mudanças mostraram resultados. A Vininha tem 28 lojas em operação e outras 17 com contratos assinados, em fase de adaptação e reformas. O faturamento previsto para este ano é de R$ 16 milhões e, no plano de expansão, serão 150 unidades franqueadas até o fim de 2015.

Além da venda das franquias, Miranda criou outra modalidade de investimento da marca para quem acredita no negócio, mas não tem perfil empreendedor. Contudo, o fundo de investimento da marca deve alcançar R$ 5,7 milhões em dois anos, para reaplicação na expansão da empresa. Das 228 cotas, 85 já foram vendidas.

Cuidados

Procurar outros franqueados da rede é fundamental

O consultor Marcus Rizzo, da Rizzo Franchising, compara o envolvimento entre rede e franqueado como um casamento. “Se fosse possível conversar com o ex-parceiro de quem escolhemos para nos casar, as margens de erro seriam bem reduzidas”, brinca. Conversar com pelo menos quatro operadores, metade com até dois anos e a outra metade com mais de dois anos de experiência na marca, ajuda a balizar a infraestrutura para suporte e os níveis de parceria que a rede oferece.

Outra dica importante é ficar atento à experiência do franqueador. Pois, na opinião da consultora Lyana Bittencourt, sócia do Grupo Bittencourt, especializada no setor, o dono da marca precisa ter a bagagem de operação entre um e dois anos, antes de abrir a franquia. “Dessa forma ele transfere o modelo de negócio, não apenas o produto”, diz.

Opinião

José Carlos Fugice Jr, sócio-fundador da GoAkira Consultoria Empresarial

Um franqueador de sucesso costuma ter boa capacidade de gestão e confiança para delegar funções. Além disso, flexibilidade no relacionamento,  muita vontade de trabalhar e saber ouvir o franqueado é fundamental. Mas até empresas consolidadas no mercado estão sujeitas ao fracasso do modelo. Por isso que franquear uma marca requer mais cuidados até mesmo do que construí-la.

Cinco passos de um franqueador de sucesso

• 1º passo : Saiba o momento certo de crescer. Obter grandes lucros e criar uma marca forte não são os únicos requisitos. Pois para avançar, é preciso mapear as regiões com maior potencial, analisar concorrentes e a demanda local. Então não comece pressionado. Transformar sua marca em franquia não é o remédio para uma empresa em crise. Se a transformação em franquia vier no momento errado, ela tem tudo para aumentar os problemas.

• 2º passo: Preencha os documentos fundamentais com transparência. A conquista do franqueado começa pela Circular de Oferta de Franquia (COF), a carta de apresentação do empreendimento. Ela reúne dados do negócio – como foi concedido e o formato – do franqueador, da rede e dos demais franqueados e ex-franqueados. Ali estão as regras do negócio, que devem ser cumpridas por terem peso de lei.

• 3º passo: Escolha o franqueado certo. O franqueador de sucesso trata o franqueado como um sócio e não alguém com dinheiro na conta. Pois o franqueador exige muito mais do que isso. Priorizar um franqueado com bom conhecimento de gestão, que trabalha junto com a franquia e se dedica à marca fortalece a rede como um todo.

• 4º passo: Dê suporte à rede. Ajudar na escolha do ponto comercial não é suficiente. Por isso, é preciso dar suporte continuado, atuando na qualificação da equipe de funcionários. Ou até mesmo nas estratégias de marketing. Além disso, um monitoramento mensal dos resultados da rede de franquias é indispensável para identificar pontos fracos e corrigi-los.

• 5º passo : Estude o mercado. Mas nunca fique satisfeito com resultados imediatos. Independente do sucesso da sua empresa, acompanhe as novas tendências e exigências dos consumidores para sempre estar inovando.

Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/economia/empreender-pme/conteudo.phtml?tl=1&id=1484558&tit=Escolha-de-franquia-para-investir-exige-pesquisa-cuidadosa

Posts relacionados