Franchising Brasil: fique por dentro do mercado que só cresce

6 minutos para ler

O surgimento das franquias no mundo data de 1850, quando a fabricante de máquinas de costura Singer começou a expandir sua marca nos Estados Unidos. Muita coisa mudou de lá para cá e, atualmente, o mercado do franchising Brasil está em plena expansão.

Esse sistema se desenvolve por meio de dois personagens: uma empresa que tem sucesso e deseja se tornar franqueadora, replicando seu negócio, e um empreendedor que quer investir no modelo, gerenciando uma unidade da marca e seguindo os padrões do franqueador.

Se você quer entender melhor sobre esse mercado no Brasil e quais são suas tendências, continue lendo nosso conteúdo.

Como as franquias se desenvolveram em nosso país?

A história das franquias no mundo começou nos anos 1900, mas no Brasil essa modalidade só foi regulamentada quase 100 anos depois. Em 1994, por intermédio da lei nº 8955, o modelo de franchising foi regulamentado no Brasil.

Nele, o franqueador cedia ao franqueado o direito de uso da marca, mediante remuneração direta ou indireta, mas sem configurar vínculo empregatício entre as partes. Desde a formalização da atividade, mais de duas mil marcas entraram no mercado de franchising no Brasil, com quase 145 mil unidades, colocando o país entre os dez maiores do mercado de franquias mundial.

A entidade regulamentadora do setor no Brasil é a Associação Brasileira de Franchising (ABF), que foi criada em 1987 e visa promover boas práticas na área. Atualmente, mais de mil associados se dividem entre franqueadores e franqueados que desenvolvem ações para possibilitar a modernização e otimização do segmento.

No Brasil, as primeiras franquias surgiram nas décadas de 60 e 70, com as escolas de idiomas Yázigi e CCAA. Depois, o mercado começou a se formalizar e criar estratégias de expansão, com marcas como Água de Cheiro e Boticário.

Na mesma época, os shopping centers começaram a se popularizar no país e marcas de varejo ou redes alimentícias mundiais (como o McDonald’s) enxergaram nessa mudança novas formas de expandirem seus negócios.

Hoje em dia, as franquias se dividem entre diversos segmentos de atuação, como: alimentação, casa, serviços, educação, moda, saúde e entretenimento. Nesse período, o franchising brasileiro também se internacionalizou e as marcas brasileiras já estão espalhadas por mais de 100 países do exterior. Os segmentos de franquia que mais atuam fora são moda, saúde e alimentação.

O que esperar do modelo de franchising no Brasil?

Uma das grandes vantagens desse tipo de negócio é que ele oferece opções de investimento que variam de 10 mil reais até grandes franquias, que pedem um capital acima de 500 mil reais.

Mesmo com o mercado estagnado, os dados divulgados pela Associação Brasileira de Franchising revelaram que o faturamento do setor cresceu 6,1% até o terceiro trimestre desse ano. Além disso, há a possibilidade de crescimento de até 8%, dependendo de duas grandes datas comerciais: black friday e Natal.

Outro fator importante é que, em momentos de recessão, alguns setores se desenvolvem com mais força do que outros e novas oportunidades surgem. Dessa forma, investir em setores estratégicos como tecnologia, comunicação e novos formatos pode ser a solução para prosperar.

Segundo a ABF, apenas 45% das cidades do Brasil têm franquias, ou seja, metade do país ainda pode ser explorado com esse mercado. Além disso, investir em novos formatos, como quiosques e microfranquias, também é uma boa opção para o próximo ano.

Novos modelos

O mercado brasileiro se dá muito bem com franchising, pois tem a capacidade de se renovar e adaptar a cada tendência — como acontece com as microfranquias. Nesse caso, o investimento inicial é de no máximo 90 mil reais, sendo que elas são mais adaptáveis quanto aos pontos comerciais. No Brasil, mais de 600 marcas já oferecem franquias nesse molde.

No caso dos quiosques, a proposta de compra rápida ganha cada vez mais adeptos. Normalmente, esses espaços ficam em shoppings ou centros comerciais, podendo ser adaptados a vários nichos que não exijam estrutura e espaço físico tão grandes.

Nos dois casos, recuperar o investimento realizado demora muito menos tempo em comparação com as franquias tradicionais. Portanto, essa pode ser uma alternativa para quem quer resultados mais imediatos ou no caso de empreendedores e investidores iniciantes.

Novos segmentos de mercado

Os consumidores mudam seus comportamentos de consumo periodicamente — e é preciso que o mercado acompanhe isso. Sendo assim, novos segmentos no mercado ficam mais fortes e se transformam em excelentes opções de investimento.

No ano de 2019, as pessoas estão mais focadas no próprio bem-estar, preocupando-se com a alimentação, cuidando da mente e do corpo. Assim, franquias de saúde, alimentação natural e exercícios são segmentos que tendem a crescer nos próximos anos.

Itens e serviços inovadores também são boas apostas para os mais audaciosos. Há franquias que se propõem a oferecer opções totalmente diferentes, como o serviço de secretária virtual, padaria pet, venda e pesquisa sobre sementes de milho ou massagens.

Por que investir nesse mercado é visar a um futuro promissor?

Na década de 1960, quando as primeiras franquias chegaram ao Brasil, o treinamento era feito por meio apostilas e modelos engessados de negócio. Atualmente, a tecnologia e os desenvolvimentos informacionais transformaram esse mercado.

A chamada 4ª geração do franchising utiliza inteligência artificial, programação e internet das coisas a seu favor. Por isso, especialistas acreditam que o futuro das franquias está na junção da educação às tecnologias. Assim, investir em franquias de educação a distância e plataformas educacionais é uma boa aposta para conquistar um mercado crescente e promissor.

Ao mesmo tempo em que o empreendedor deve olhar para frente e procurar novos nichos, atentar às outras gerações também pode ser benéfico. A expectativa de vida do brasileiro tem aumentado ao longo dos anos, portanto a demanda por franquias de home care, turismo para a terceira idade e casas de repouso vem crescendo.

Como vimos, o modelo de franchising no Brasil está bem estruturado e tende a crescer nos próximos anos. O mercado é bem flexível e adaptável às mudanças econômicas e ao comportamento dos consumidores.

Agora que você já conhece melhor o mercado de franquias no Brasil, que tal compartilhar nosso conteúdo nas redes sociais e dividir com seus contatos esse conhecimento? Até a próxima!

Posts relacionados

Deixe um comentário