5 perguntas e respostas para medir a maturidade da sua empresa

8 minutos para ler

Indivíduos e empresas têm uma característica em comum: no decorrer de sua existência, ambos devem alcançar maiores níveis de maturidade. De maneira análoga ao amadurecimento humano, a maturidade de uma empresa está diretamente ligada ao conhecimento adquirido com sua experiência operacional, mas também em como esse conhecimento se transforma em resultados efetivos.

Quer saber mais sobre o assunto e entender como você pode identificar e medir a maturidade do seu negócio? Acompanhe a leitura do post de hoje!

O que é a maturidade de uma empresa?

Ao contrário do que muitos podem pensar, a maturidade de uma empresa pouco tem a ver com o seu tempo de vida ou com a margem de lucro que se consegue alcançar em cada operação executada com os seus clientes. Ela está relacionada ao quanto essa empresa consegue extrair e aprender com as suas operações, seja com seus parceiros, consumidores ou com o mercado de modo geral.

Por exemplo, considere os procedimentos que acontecem durante o processo de pagamento de contas da sua empresa. Eles se mantêm os mesmos, exatamente iguais aos de 3 anos atrás? É bem provável que algumas mudanças tenham ocorrido durante esse tempo, certo?

Isso porque, em geral, as situações que envolvem erros ou falhas são as mesmas que propiciam a empresa a aprimorar as suas práticas.

Quais são os graus de maturidade de uma empresa?

No geral, são 5 os graus de maturidade que uma empresa pode alcançar. Essa escala serve para evidenciar seu nível de evolução no momento em que ocorre a avaliação.

Vale lembrar que tais avaliações não são vitalícias. Isso quer dizer que, ao atingir um nível de maturidade, ela se manterá nesse determinado nível por certo período. Assim que houver a necessidade, uma nova análise deve ser feita para que seja constatado o novo grau de maturidade e se houve algum aumento ou redução no nível.

Grau 1 — Inicial

No grau de maturidade 1, a empresa não conta com áreas de processos. Nesse grau, os negócios se encontram em desordem. Uma vez que não há padronização, eles não podem ser considerados maduros.

Grau 2 — Gerenciado

No grau 2, já é notado um certo nível de planejamento e controle da empresa. Nessa etapa, ela deixa de ser desorganizada e passa a estar sujeita a gerenciamento e acompanhamento, ao controle de fornecedores e a um processo de garantia de qualidade do produto.

Grau 3 — Definido

Aqui, a empresa se aprofunda em processos controlados de desenvolvimento, além de inovar em áreas como soluções técnicas com foco no processo organizacional, gestão integrada do negócio e análises de risco.

Grau 4 — Quantitativamente gerenciado

Empresas com grau de maturidade 4 são capazes de prever problemas e descobrir como evitá-los antes mesmo que aconteçam. Além disso, elas buscam aplicar boa parte dos recursos no aprimoramento do seu desempenho organizacional.

Grau 5 — Otimização

No último grau de maturidade, a empresa deve buscar por uma melhoria contínua com base em dados estatísticos. Isso garante a eficiência da gestão organizacional da companhia e a análise da causa e da resolução de problemas.

Vale frisar que, para a empresa estar nesse grau de maturidade, os requisitos anteriores devem estar sendo aplicados sem nenhuma dificuldade.

Portanto, o grau de maturidade de uma empresa é, basicamente, o resultado de um processo integral de análise corporativa. Logo, se você quer descobrir em qual grau de maturidade a sua companhia se encontra, pode realizar esse diagnóstico organizacional indagando 5 perguntas simples a respeito do seu negócio:

Como identificar a maturidade do seu negócio?

Se você pretende franquear o seu negócio, antes é importante saber se ele se encontra maduro o suficiente para suportar essa expansão, não é mesmo? Por isso, elaboramos uma lista com 5 perguntas e respostas para você descobrir se a sua empresa está pronta para se tornar uma franquia. Confira!

1. Como deve estar a saúde financeira da minha empresa?

Antes de franquear o seu negócio, você, como um bom gestor, precisa desenvolver uma análise sobre a atual condição da empresa para estabelecer uma investigação profunda sobre sua situação financeira.

Portanto, procure manter um relatório detalhado e atualizado a respeito das condições financeiras da empresa. Isso vai lhe ajudar bastante no momento da tomada de decisão. Essa atitude vai facilitar também a análise do seu negócio e permitirá que você verifique se ele dispõe de uma boa estrutura para ser transformado em franquia.

2. Devo estar promovendo investimentos em marketing?

Para que uma franquia tenha sucesso, é fundamental que seu negócio ofereça algum diferencial. Afinal, sem um diferencial competitivo, fazer com que a franquia dê certo vai ser uma missão difícil. Mesmo assim, muitos franqueadores negligenciam essa afirmação.

Para conseguir atrair franqueados para o seu negócio, você deverá dar atenção especial a esse tipo de investimento. Por isso, é importante botar as contas na ponta do lápis. Pergunte a si mesmo: você alcançará os retornos almejados ao franquear o negócio após todo o investimento feito para divulgá-lo?

Além disso, analise também as informações de mercado. Existem clientes para gerar demanda suficiente para sustentar o negócio? Você sabe o que os seus consumidores valorizam?

Ter um negócio bem estabelecido não é o bastante. Para criar uma franquia de sucesso, ela deve ter forte atuação em diversas localidades do mapa.

3. Qual deve ser meu perfil ideal de franqueador?

O perfil do franqueador é extremamente importante para o êxito de uma franquia. Ele deve estar de fato comprometido com o resultado dos seus franqueados. Além disso, deve apresentar uma estrutura sólida o suficiente para oferecer o suporte à sua rede.

ebook sobre formatação de franquiasPowered by Rock Convert

De nada adianta apenas um dos lados da franquia sair ganhando. Por isso, o relacionamento entre franqueador e franqueado deve ser sincero, bem estabelecido e o mais importante: ambas as partes devem ser beneficiadas pelo negócio.

Para isso, o franqueado deve ter jogo de cintura e flexibilidade para lidar com diferentes pessoas e realidades ao iniciar um projeto de franquias.

4. Quais serão os meus desafios no mercado de franchising?

Os desafios do franchising vão muito além de estimar o lucro do seu projeto ou o potencial de crescimento da empresa. O processo de franchising exige que contas sejam feitas. Ainda que você já tenha um negócio lucrativo, reproduzir o seu modelo não necessariamente pode ser garantia de sucesso.

Se o seu objetivo é franquear o seu negócio, acostume-se com a presença dos números e saiba lidar com eles. Pois equilibrá-los é o principal desafio de uma franquia de sucesso.

5. É necessário que minha empresa ofereça estrutura jurídica?

Para se tornar uma franquia, seu negócio deve ser bem estruturado juridicamente. Isso porque a estrutura jurídica da sua empresa é a parte responsável por gerir as relações entre o franqueador e o franqueado, além de verificar se a sua companhia segue os padrões da Lei de Franquia Empresarial.

Uma franquia que não tenha os instrumentos jurídicos necessários para o controle efetivo do negócio tende a se render à desorganização e, muito provavelmente, não terá sucesso.

Diagnosticar o nível de maturidade de uma empresa é primordial para a tomada de decisões operacionais e estratégicas. Assim como para torná-la uma franqueadora. Ao mensurar, analisar e organizar os seus principais processos, você terá muito mais segurança e confiança sobre os rumos que seu negócio está tomando.

Agora que você já sabe como identificar a maturidade de uma empresa, assine nossa newsletter e receba diretamente no seu e-mail conteúdos exclusivos para melhorar a gestão do seu negócio!

 

Posts relacionados

Deixe um comentário