Saiba como criar um negócio escalável por meio de diferenciais replicáveis

9 minutos para ler

O que você sabe sobre diferenciais replicáveis?

Com a chegada das startups no mercado, muito tem se falado sobre a importância de um modelo de negócio escalável. Isso significa que ele poderá ser ampliado, sem que haja um aumento significativo dos custos operacionais.

Nos dias de hoje, esse tem sido o “sonho de consumo” de todos os que pensam em empreender. Ou até mesmo, os que já têm um negócio fixo, mas querem obter crescimento.

Partindo do princípio de que seu negócio já existe, é testado e bem-sucedido, é preciso entender quais são as características necessárias para que ele se torne escalável. Pois bem, são três os ingredientes imprescindíveis para essa receita e, indispensáveis, para uma rede de sucesso.

Para quem está no mercado de franquias, ou deseja entrar nele, essa característica é muito importante para o crescimento do negócio, por isso, neste artigo, trataremos do primeiro dos 3 fatores necessários para tornar um negócio escalável: os diferenciais replicáveis. Continue lendo!

Quais as características de um modelo de negócio escalável, um diferencial replicável?

A principal característica de um negócio escalável é a possibilidade de se fazer mais, sem precisar necessariamente aumentar a quantidade dos recursos aplicados. Por exemplo, vender mais, sem a necessidade de contratar novos colaboradores.

Normalmente, isso se deve ao fato de que suas operações são simples e padronizadas, muitas vezes, podem ser realizadas de modo automatizado. Dessa forma, então, para que se crie um modelo de negócio com essas características, é preciso levar em conta os três elementos que veremos a seguir. Acompanhe.

Padronização

Cada vez que se customiza um produto ou serviço, é necessário um processo específico para que isso seja feito e, na maioria das vezes, isso demanda mais mão de obra e matéria-prima. Desse modo, para aumentar a produção, os custos também amentam.

Quando se aplicam processos padronizados de produção, a necessidade de mão de obra se torna menor, já que muita coisa poderá ser automatizada, assim como o consumo de matéria-prima poderá ser reduzido, sem a perda da qualidade, se o processo for desenhado para isso.

Automatização de diferenciais replicáveis 

Mais do que economia de recursos físicos, como a matéria-prima e a mão de obra, a automatização também diminui o tempo gasto na produção e reduz, consideravelmente, a possibilidade de erros que demandem uma refação ou desperdício de materiais.

Além disso, com os recursos tecnológicos existentes hoje no mercado e a capacidade de inovação que eles nos trazem, praticamente tudo o que é necessário para se produzir e, até mesmo, vender algo poderá ser automatizado. Basta lembrar dos processos de automação de marketing.

Replicabilidade

Processos padronizados e automatizados se tornam executáveis por qualquer pessoa com algum treinamento para isso. Em muito casos, isso dispensa até mesmo outro tipo de qualificação. Um exemplo disso são os processos de gestão de uma franquia e os diferenciais da sua marca que são, facilmente, replicados para os franqueados.

É justamente esse “pacote de processos” que dá valor ao negócio, muito mais do que qualquer recurso físico que ele tenha. É nesse momento que surgem os diferenciais replicáveis que mencionamos na introdução do texto. Entenda mais sobre eles, a seguir.

O que são diferenciais replicáveis?

Por diferencial, entende-se uma característica do produto ou serviço oferecido. Ou, ainda, um processo de negócio, que distingue sua empresa dos concorrentes.

Quando nasceu, um dos diferenciais do McDonald’s, por exemplo, foi montar uma linha de produção de hambúrgueres, que eram preparados rapidamente, sem necessidade do cliente esperar muito tempo pelo seu lanche. Isso era possível por meio do processo criado por seus fundadores.

No caso de franquias, não basta ter diferencial. Ele precisa ser replicável. De nada adianta ter um diferencial que seja impossível de replicar na unidade do seu franqueado. Pior do que isso, é cada unidade franqueada trabalhar de maneira diferente.

ebook sobre rede de franquias

Para ilustrar o ponto acima, imagine uma loja de artesanato que tenha simplesmente os melhores e mais bonitos adereços, reconhecidamente diferenciados na percepção dos clientes pela qualidade impecável. Além disso, o conceito já foi testado em duas diferentes localizações, com excelente resultado financeiro. Fantástico para franquear, não?

Porém, existe um detalhe que precisa ser acrescentado: quem produz esse artesanato peculiar é uma artista ímpar, única no mundo, e todo produto tem que ser fabricado à mão e somente por ela.

Desnecessário dizer que, nesse exemplo, apesar do diferencial, a impossibilidade de replicação torna inviável a expansão por meio de franquias. Você imagina uma pessoa sozinha produzir produtos para 100 lojas? Apensar de ser um exemplo fantasioso, creio que exemplifica bem o ponto. Diferencial em franquias só é válido se for replicável.

Quais os passos para criar um negócio escalável?

Com o que você já leu até aqui, não fica difícil imaginar como criar um modelo de negócio escalável, mas, para facilitar ainda mais esse processo, exploraremos mais detalhadamente cada passo a ser dado. Confira!

1. Identificar diferenciais replicáveis na empresa

Os diferenciais replicáveis são o principal recurso de um negócio escalável, sem eles, a escalabilidade simplesmente deixa de existir. Por isso, o primeiro passo é verificar se, de fato, existem. Somente depois de devidamente identificados e validados podemos seguir para o segundo passo.

2. Traçar objetivos

Traçar objetivos faz parte de qualquer planejamento, porém, quando se tratar de ganhar escala, eles são ainda mais importantes. É partir do cumprimento ou não deles que será possível verificar se o negócio realmente está escalando como esperado.

Quando se trata de um modelo de negócio escalável para franquias, esses objetivos e suas metas relacionadas também se tornam um modo de garantir que o franqueado aplique as regras estabelecidas pelo franqueador, para que, desse modo, os objetivos sejam cumpridos.

Somente com objetivos e metas estabelecidos será possível a definição dos indicadores de performance que ajudarão a entender o que precisa ser melhorado no modelo de negócio.

3. Mapear e padronizar processos

Agora que você já tem diferenciais replicáveis e um objetivo para eles, é a hora de mapear, padronizar e buscar as ferramentas necessárias para a automatização dos processos necessários para se chegar aos diferenciais ― o real valor do negócio.

É por meio desse mapeamento que todo o modo de operação de uma franquia, por exemplo, será desenhado e documentado, para que seja possível replicá-lo.

4. Treinar os funcionários

Chegou o momento em que é necessário que seja feito o treinamento dos funcionários para que os processos sejam replicados exatamente como foram planejados. É nesse momento que se percebe o que pode ser ainda mais simplificado e o que não pode, de modo algum, ser ignorado.

É importante lembrar que, a partir desse treinamento, são os funcionários que passarão a produzir e entregar ao consumidor final os diferencias replicáveis que foram criados, portanto, é fundamental que eles tenham absoluto conhecimento sobre o que estão fazendo, para que tudo seja feito de acordo com o esperado.

5. Planejar a logística

A logística é um dos principais fatores quando se fala em um modelo de negócio escalável. Afinal, sem ela fica bem difícil cobrir o aumento da demanda de produção e distribuição. Os processos logísticos precisam estar um passo a frente dos planos de expansão e das ações de marketing que venham aumentar as vendas.

Afinal, de nada adianta aumentar a produção e ela não chegar até o ponto de venda. Ou, ainda, conquistar novos clientes e eles não encontrarem os produtos na prateleira quando procuram por ele. Portanto, o planejamento logístico deve ser pensando desde a aquisição da matéria-prima até a distribuição do produto final.

6. Investir no marketing

É impossível para qualquer negócio crescer sem clientes, certo? A área responsável pela aquisição de novos consumidores é o marketing. Portanto, ele é uma peça chave para se conseguir a tão sonhada escalabilidade.

Além dos processos de marketing e vendas relacionados a comunicação e relacionamento direito com o cliente, eles também são responsáveis pela descoberta de novas demandas e pela geração de insights para a melhoria dos produtos e dos seus diferenciais replicáveis.

Portanto, o investimento em marketing é indispensável para um negócio que deseja escalar. Especialmente, quando estamos falando em franquias, pois, nesse caso, os processos ligados ao marketing também deverão ser padronizados.

Tão importante quanto criar e seguir um plano de negócio escalável, é acompanhar de perto a sua implementação. Desse modo, é possível garantir que os princípios básicos essenciais estão sendo, de fato, respeitados.

Um modelo de negócio escalável é imprescindível para empresas que desejam crescer na nossa atual realidade. Uma vez que os recursos necessários para isso estão disponíveis para todos e, normalmente, estão ligados a novas tecnologias, a tendência é que empresas que não se atualizam fiquem estagnadas ou, até mesmo, desapareçam do mercado.

E agora que você já sabe o que é um negócio escalável e entende a importância dos diferenciais replicáveis para ele, siga-nos no Facebook, no LinkedIn e no Twitter e comece a receber muito mais conteúdos como este!

 
Posts relacionados

Deixe um comentário